AR-CONDICIONADO, CLIMATIZADOR OU VENTILADOR: COMO ESCOLHER?

TENDÊNCIAS

interna_blog_calor
interna_blog_calor

No Brasil, durante o verão, faz bastante calor em todas as regiões do país. De norte a sul. E com as temperaturas aumentando cada vez mais, não dá para passar pela estação mais quente do ano sem uma ajudinha, ainda mais dentro de casa, lugar que precisa passar conforto para o nosso dia a dia, seja para estudos, trabalho, ver um filminho ou mesmo cozinhar. Com o ambiente mais fresco, ficamos também mais dispostos. O que é fundamental para cumprir todas as tarefas de casa.

Mas é justamente nesse momento que surge a dúvida: ar-condicionado, climatizador ou ventilador. Qual é o ideal para mim? Cada opção tem suas vantagens e desvantagens, mas nós listamos aqui cada uma delas para você tirar as dúvidas e escolher o mais adequado para se refrescar e passar por esse calorão com mais tranquilidade. Vamos lá?

AR-CONDICIONADO

Vantagens:

O conforto térmico é a melhor característica do ar-condicionado. Especialmente em dias mais quentes. É sempre agradável entrar em ambientes fresquinhos que utilizam esse equipamento e, sem dúvidas, essa é a principal vantagem.

Desvantagens:

Ar-condicionado é o aparelho mais caro e que consume mais energia. Se ficar ligado muito tempo pode consumir mais do que o dobro de um chuveiro elétrico e o triplo de uma geladeira. Uma outra comparação: um aparelho de ar-condicionado equivale a 12 ventiladores portáteis em termos de consumo de energia.

Tipos de ar-condicionado e instalação

De janela: esse modelo possui condensador e evaporador na mesma unidade e é indicado para ambientes menores. Porém, é necessário abrir um buraco na parede e instalar o suporte do lado de fora.

Split: aqui condensador e evaporador são em unidades separadas e que podem ficar em ambientes diferentes: a unidade evaporadora dentro do cômodo, na parede, e a condensadora no quintal ou na varanda.

Portátil: em termos de instalação é a melhor opção, porque simplesmente não precisa. Normalmente, fica na janela ou sacada para fazer a troca de ar. Além disso, é preciso esvaziar o reservatório de água de vez em quando.

Manutenção:

Cada modelo pode precisar de uma manutenção específica diferente. Mas para todos os casos, o filtro do ar-condicionado deve ser trocado no mínimo a cada 6 meses. Já a limpeza é ideal ser feita todo mês, para evitar acúmulo de bactérias e poeira, além de garantir a eficiência e a qualidade do ar para não prejudicar a saúde. Para limpezas profundas, ou troca de tubulação, é preciso contar com o auxílio de um profissional especializado.

CLIMATIZADOR

Vantagens:

No caso dos climatizadores, a principal vantagem é que o aparelho promove a circulação do ar por todo o ambiente, mantendo o ar úmido por meio da evaporação de água. Outra vantagem é que ele é bem mais econômico em relação ao ar-condicionado, mais barato e mais leve. Além disso, para quem tem problemas respiratórios, o climatizador de ar é a melhor opção.

Desvantagens:

Para dias ou lugares muito quentes, o climatizador pode não ser a escolha mais adequada, uma vez que para altas temperaturas não é suficiente. É importante lembrar que seu objetivo não é refrigerar o ambiente, mas sim ventilar e umidificar. Outro ponto importante é que, apesar de não ser tão potente, ainda assim gasta mais energia que os ventiladores.

Tipos de climatizadores e instalação:

Climatizador de teto ou telhado: podem ser instalados tanto no teto quanto em paredes por meio de dutos de ar. Esse tipo é o mais moderno e silencioso.

Climatizador de parede: esse é um modelo de climatizador que usa hélices e faz bastante ruído, mas são indicados para grandes áreas.

Climatizadores portáteis: possuem menor potência e são indicados para ambientes menores. Podem ser instalados em diversos ambientes.

Manutenção:

Para que a vida útil do aparelho e qualidade do ar sejam mantidas, é importante fazer a limpeza uma vez por mês. Você pode fazer a limpeza do reservatório em casa, usando produtos que não prejudiquem a saúde. Seque bem o reservatório e evite usar panos que soltem pelos e fiapos. Para limpezas mais profundas, o ideal é chamar um especialista a cada 6 meses.

VENTILADOR

Vantagens:

Tanto em termos de economia quanto de praticidade o ventilador é o campeão. São mais baratos e mais econômicos e, no caso dos portáteis, que existem em diversos tamanhos e potências, a facilidade de transportar de um cômodo a outro também supera. Para escolher o seu modelo, a dica é considerar que o mais importante é o formato e a inclinação das hélices.

Desvantagens:

Se de um lado a potência é sinônimo de eficiência, por outro pode indicar mais barulho e maior consumo energético. Procure sempre por modelos mais silenciosos e ao Selo Procel. Além disso, não é indicado para quem tem problemas respiratórios e alergia à poeira, o ventilador direciona o vento sempre para os mesmos lugares e não umidifica o ar.

Tipos de ventilador e instalação:

Teto: ideias para uma boa distribuição do vento pelo ambiente de 15 a 30 metros quadrados, com pouco gasto de energia. É preciso ficar atento à altura do teto para que não aconteça nenhum acidente. A instalação normalmente é feita por eletricistas, uma vez que fica conectado com o fio de luz.

Mesa: modelos menores que podem ser colocados no escritório, por exemplo, em cima da mesa de trabalho. São fácies de levar para onde você quiser, mas cobrem áreas menores e, também, são menos potentes. São normalmente silenciosos e bastante versáteis.

Chão: modelos mais comuns e, também, bastante versáteis, possuem os mais diversos modelos, tamanhos e potências. Costumam ser os mais fáceis e rápidos de achar e ajudam bastante em dias quentes.

Coluna: são aqueles com uma coluna longa e uma base no chão. A vantagem desses modelos é que podem ter a altura ajustável e em termos de potência são bem parecidos com os ventiladores de chão.

Torre: com design mais compacto, ocupam pouco espaço. Costumam ser mais potentes do que os ventiladores de mesa ou coluna, além disso, conseguem cobrir área maior e normalmente têm mais opções de velocidade. Alguns modelos mais modernos possuem timer e função de purificação do ar também.

Manutenção:

No caso dos ventiladores, a manutenção fica por conta da limpeza periódica, para eliminar poeira das hélices. Além disso, verifique com frequência se os parafusos, no caso de ventilador de teto, estão firmes. Também confira a fiação. Na dúvida, chame um especialista ou leve o ventilador portátil para o conserto.

Gostou? Esperamos que as dicas ajudem a refrescar um pouco as ideias e auxilie na sua decisão! Leve em consideração também a sua casa e os espaços disponíveis. Vai bem um ventilador de teto por aí? O prédio onde você mora tem estrutura para instalação de ar-condicionado? Isso vale para a escolha dos modelos. Qual combina mais com a sua casa? Essas questões também devem ser levadas em consideração na hora de escolher.

Uma última dica muito importante: seja qual for o modelo que tem mais a ver com você e com a sua casa, procure usar os equipamentos com cuidado e responsabilidade. O consumo excessivo de energia elétrica é prejudicial para o meio ambiente, além de prejudicar o bolso também. E já que o assunto é calor e verão, lembre-se que ingerir bastante líquidos como água, sucos e chás gelados também ajuda a refrescar e faz bem para sua saúde. Além disso, se for sair, use protetor solar, combinado?